PLANO DE CARREIRA 4 meses atrás

Um plano de carreira é uma das principais estratégias que uma empresa pode adotar para reter talentos e desenvolver ao máximo o potencial dos funcionários. Dar aos profissionais a visão de crescimento antes mesmo da entrada na empresa pode ser determinante para a contratação de um bom colaborador.

Esse instrumento é fundamental para estimular a competição interna saudável e a satisfação dos funcionários, além de impulsionar o crescimento global da empresa. Quando os profissionais sabem o que fazer e sabem o quanto podem crescer na organização, os resultados tendem a ser cada vez melhores.

Mas como é possível criar um plano de carreira eficaz para atrair e reter talentos? A mywork responde isso ao longo deste artigo!

O que é plano de carreira?

Um plano de carreira é um programa estruturado que estipula o caminho que cada funcionário pode percorrer dentro de uma empresa. Em outras palavras, é o plano que determina 1) as competências necessárias para que o colaborador ocupe cada posição hierárquica na empresa e 2) a expectativa da companhia em relação àquela posição.

O plano de carreira deve ser formulado pensando em duas frentes: a primeira delas, pensando em atrair talentos. A segunda, de modo a proporcionar aos colaboradores a possibilidade de se desenvolver profissionalmente  e crescer na empresa. Um plano de carreira mostra ao profissional quais etapas e posições ele poderá assumir na hierarquia empresarial e quanto tempo ficará em cada uma.

O ponto-chave de oferecer um plano de carreira aos colaboradores é motivá-los e valorizá-los, de modo a dar uma perspectiva clara do potencial de crescimento de cada um. Essa ferramenta é de suma importância para aumentar o índice de satisfação interna e reduzir o índice de turnover da empresa.

Quem pode elaborar um plano de carreira?

Como o plano de carreira funciona como um direcionamento para a ascensão e o sucesso profissional, é importante destacar que todas as partes interessadas podem estar envolvidas na elaboração do plano. A empresa pode elaborar o plano de carreira juntamente ao colaborador, ou este pode desenvolvê-lo sozinho.

Independente do caso, é importante que o colaborador tenha informações claras sobre a situação profissional em que ele se encontra e, a partir daí, será possível identificar e traçar seus objetivos profissionais e definir os passos necessários para seu crescimento.

O que é necessário considerar ao elaborar um plano de carreira?

Desenvolver um plano de carreira requer muita disciplina e determinação. Um plano de carreira pode envolver várias questões, desde crescimento interno na empresa até mudanças de emprego ou cidade. Todas essas questões devem ser avaliadas com cuidado pelos profissionais que decidem criar um plano de carreira eficaz e que resulte em sucesso profissional.

O primeiro desafio enfrentado por muitos profissionais na hora de criar um plano de carreira é identificar gaps produtivos e pontos de melhorias e, por esse motivo, é interessante que o plano seja desenvolvido em parceria com o departamento de recursos humanos da empresa. 

Isso porque o departamento de RH possui ferramentas para medir o potencial de cada colaborador dentro da empresa e no mercado como um todo, como as avaliações de desempenho e perfis comportamentais de cada profissional. A partir disso, é possível estabelecer metas e objetivos que funcionário deverá cumprir ao longo do tempo para crescer profissionalmente.

De forma geral, um plano de carreira deve ter:

 

  • Mapeamento pessoal: valores, interesses, motivações, medos etc. 
  • Mapeamento de competências: habilidades e conhecimentos técnicos em geral e que julga dominar muito bem. Aqui é importante identificar os pontos fortes e pontos de melhoria.
  • Mapeamento de mercado: relacionar a área, cargo e função pelos quais se tem interesse e quais são os requisitos e competências necessários para atingi-los.
  • Plano de ação: aqui é o momento de definir objetivos e prazos para atingi-los. O planejamento deve ser objetivo e viável, indicando um passo a passo da carreira que se pretende seguir.

 

Tipos de planos de carreira

Cada plano de carreira é individual e, portanto, não existe uma receita pronta para que os profissionais elaborem seus objetivos. No entanto, existem alguns modelos de carreira que são adotados em diversas empresas que oferecem essa oportunidade para seus colaboradores. A mywork reuniu os 5 principais modelos abaixo:

1- Carreira horizontal: é aquela que não conta com a possibilidade de ascensão em nível hierárquico. Pode parecer um pouco estranho, mas esse tipo de carreira é comum em empresas nas quais não existe uma divisão hierárquica em sua estrutura, ou seja, todos os cargos estão no mesmo nível e a evolução acontece em relação às atividades e responsabilidades exercidas. 

Isso não significa que não há benefício algum nesse tipo de plano de carreira, pois há a possibilidade de aumento salarial diante de um alto nível de desempenho.

2- Carreira em linha: nesse modelo de plano de carreira é muito difícil mudar de área e os cargos e níveis hierárquicos são padronizados para toda a empresa. As promoções ocorrem, geralmente, em função do tempo de serviço. Esse tipo de plano de carreira é mais comum no serviço público e em instituições militares.

3- Carreira em Y: esse tipo de plano de carreira ocorre quando o profissional encontra uma “bifurcação” em seu crescimento: assumir um cargo de gestor ou se tornar um especialista na área.

Muitas empresas costumam oferecer uma posição de gestor aos colaboradores com alto desempenho na companhia, o que é visto como um plano de carreira mais tradicional. No entanto, é cada vez mais claro que essa ação pode não gerar os melhores resultados para os negócios, uma vez que apenas aqueles que têm um perfil claro de liderança tendem a se sair bem nas atividades de um gestor.

Por isso, surgiu a necessidade de se criar cargos de especialistas, para potencializar o crescimento dos profissionais que não apresentam fortemente o perfil de liderança, mas têm potencial para crescer na empresa.

4- Carreira em W: parecido com o plano apresentado anteriormente, o plano de carreira em W também oferece bifurcações profissionais, mas com o caminho de gestor de projetos. Esse tipo de plano tem como objetivo impulsionar o crescimento de profissionais especialistas em cargos de liderança não-convencionais, que passam a assumir o cargo de “gestores de projetos”. 

A partir disso, o profissional pode transitar pela área comandando projetos específicos, gerindo e colaborando com as equipes de maneira inovadora.

5- Estrutura em rede: Esse tipo de plano de carreira permite que o colaborador possa optar por ocupar várias posições caso continue evoluindo na empresa. A organização definirá quais são os critérios e competências necessários para ocupar o cargo, de modo que o profissional tenha liberdade para escolher aquele que mais lhe agrade.

E se a empresa não puder oferecer um plano de carreira claro?

É possível engajar o colaborador e criar oportunidades para que ele se desenvolva mesmo sem traçar um plano de carreira claro das seguintes maneiras:

1- Estabeleça processos que apoiem a jornada dos profissionais na empresa:

É importante que a empresa dê aos colaboradores uma visibilidade do cenário atual e dos planos da companhia para o futuro, para que o profissional possa descobrir para onde deseja seguir. Essa visão dos negócios contribui para que o funcionário trabalhe mais ativamente em seu desenvolvimento, seja por meio de treinamentos ou pelo crescimento pessoal.

2- Apoie os gestores para incentivarem conversas sobre carreira:

Os líderes da empresa devem estar preparados para conversar com seus subordinados sobre os rumos de suas carreiras. É essencial que os gestores tenham em mente que o sucesso dos negócios está intimamente relacionado ao engajamento das equipes com suas atividades e com a empresa como um todo, mas o desejo dos funcionários pode ser crescer em outra área. 

Os gestores devem estar atentos a essas situações e incentivar a auto-reflexão por meio de questionamentos como: Qual cargo gostaria de ocupar? O que tem feito para conquistar as competências necessárias para assumir esse novo cargo? Quais são os pontos fortes do colaborador? E os fracos?

Tudo isso contribui para um alinhamento de expectativas entre os funcionários, gestores e a própria empresa.

3- Dê transparência para vagas internas:

Caso existam oportunidades abertas e novos cargos a serem ocupados na empresa, é interessante dar preferência para os profissionais que já fazem parte da companhia. Isso não só contribui para o plano de carreira pessoal dos colaboradores, mas pode aumentar os níveis de satisfação interna.

No entanto, é importante que o profissional que ocupará o novo cargo tenha as competências e o comportamento necessários para assumir essa nova função.

Um colaborador que tem a oportunidade de ocupar um cargo de gestão precisa não apenas demonstrar habilidades e conhecimentos adequados para a função, mas também precisa definir uma postura exemplar para o restante da equipe.

De nada adianta o gestor saber tudo sobre sua área, mas se atrasar constantemente para o trabalho ou não realizar sua marcação de ponto da maneira correta, por exemplo. Da mesma forma que um gestor de RH, por exemplo, pode ter uma postura exemplar e cumprir com todas as regras definidas pela empresa, mas não entender sobre o pagamento de horas extras ou sobre as políticas de home office da empresa.

 

Fazer um plano de carreira é uma forma de investir nos funcionários e no sucesso da empresa. Um colaborador está na organização aprendendo e ensinando constantemente, além de contribuir para o bom andamento dos negócios, e é importante valorizar a trajetória profissional de cada um.

Nenhum comentário em PLANO DE CARREIRA

Deixe uma resposta